Digníssimo

Quando dói, eu escrevo. Ou pelo menos quero escrever. Seja lá qual for o tipo de dor, os textos se formam perfeitamente aqui dentro. Escrevo mentalmente. Quando vou materializar minhas palavras, elas acabam tomando um rumo totalmente diferente. Ou talvez nem tanto. Mas nunca é igual. Depende do tempo que se passou entre pensar e materializar. Como agora. Escrevi mais cedo, mas materializando, não é nada daquilo que pensei.
E isso tudo aí que pesa tanto, dói tanto, acaba me deixando mais leve. Deve ser por isso que amo tanto.

There’s no dark side of the moon really. Matter of fact it’s all dark.
Digníssimo. Digno de aplausos intermináveis.

I can’t think of anything else to say except…
I think it’s marvellous!
Anúncios

Autor: Carolda

Carolina. Canhota, 32, já vivi outras vidas em castelos.

24 comentários em “Digníssimo”

  1. Tomara que chegue um dia que tu não tenha mais dor para escrever e sim motivos alegres que te motivem a escrever, eu era assim também, até que um dia as dores passaram e comecei a escrever sobre outras coisas melhores. beijos

  2. Quando eu escrevo é como se eu tirasse realemnte um peso…
    quando estou triste, minhas palavras são minhas lágrimas, meu alívio.

    p.s: sou fã de teus textos, posso não comentar muitas vezes, mas estou sempre de olho

    bjos

  3. oie ^^
    adoooro pink floyd tbm
    e de fato nao fica a mesma coisa :S
    mas nao é algo que me incomode
    gostei do seu blog, bem leve, cool,
    bunito ^^
    bjs bjs carol seguindo-t

  4. Eu tenho mais facilidade de escrever quando tô sofrendo também. Meus melhores textos saíram num momento de lástima sentimental.
    beijos

  5. Concordo plenamente! E acho que sobre transcrever pensamentos e sentimentos… deve ser assim com todo mundo, né? Se não houvesse tristeza com certeza nossa arte seria mais precária..

    Beijo

  6. eita, comigo também acontece isso de eu pensar uma coisa e escrever outra.
    e mais ou menos como planejar alguma coisa: no fim acontece tudo diferente. 🙂

    bj bj ;**

    p.s.:
    tenho uma (não-indecente) proposta. dá uma olhada lá no meu blog. 😛

  7. Eu tb sou assim, quando fico triste ou com raiva, mentalmente eu organizo as palavras, mas depois quando é p/ materializar as palavras elas ficam bem diferente do que eu queria.

  8. Não importa se é igual ou não ao que se passa aí dentro, mas escreva. Sempre.
    Que a gente precisa das tuas letras pra encantar.

    Toma um beijo, flor.

  9. Ah, às vezes acontece isso comigo quando vou ” materializar minhas palavras”…
    E o vídeo é digníssimo mesmo!

    (www.pollyok2.zip.net)

  10. Escrever é uma bela forma de expressar o que sentimos. Torço muito para que chegue o momento em que vai escrever qdo estiver cheia de felicidades.

    Obrigada pelo carinho no comentário.

    Beijos,
    .Luana.

  11. A dor escrita é aquilo que você precisa dizer. Assim, a dor de dentro acalma, fica leve. A escrita toma rumos que a dor de dentro desconhece e acaba mechendo no paradóxo de dentro.

    Pink Floyyyyyyyyyd *-*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s