Não é isso

Quero escrever há dias. Comer. Não há dias, porque hoje eu almocei muito bem, obrigada, no meu restaurante favorito. Tinha até um cara à lá Sylvester Stallone com sua namorada-loirona-gostosona. Caras grandes assim me assustam. Esse monte de músculos pode não resultar em boa coisa. Eles não me atraem em nada. Então eu acho engraçado o modo como advinho o tipo de mulher que esses homens gostam. Corpo perfeito, rosto com algumas plásticas. E loiras. Saradas. Não as invejo em coisa alguma. Já disse que homens grandes demais me assustam. Vai que um desses resolve me jogar na parede, não ia dar em boa coisa.
Sentada aqui pensando, me lembrei da dor que senti em nossos desencontros. É, aquela dor de coração partido, de quem falhou em dizer o que deveria. Deve. É uma dor que dói lá no fundo da alma, que me faz perder o ar, o rumo, a fala, a vontade de existir. Dá vontade de enterrar a cabeça no travesseiro e nunca mais sair dali. Não sair até eu chorar compulsivamente por um minuto ou dois e me sentir mais leve. Aquele choro doído. Já disse que ser eu dói. Deixar as coisas mais pesadas. Aquela dor que vai do meu pescoço até o meio das minhas costas, contornando minha omoplata, pelo peso da mala que carreguei há 4 dias. Mal jeito. Talvez não saiba mais o jeito certo de carregar coisas pesadas. Talvez eu nem deva mais carregá-las.
Não sei. Não é isso. É você. O cara à lá Sylvester Stallone devorando aquele prato gigante de comida, que não devia pesar menos de um quilo, enquanto sua namorada-gostosona-loirona e vice-versa comia uma saladinha e aquele pedacinho minúsculo de carne. Coma direito, minha filha. Frescurites culinárias me causam ojeriza.

Não é isso. Nada disso. É você, que insiste em não sair daqui.
E eu gosto disso. É isso. Você.

Anúncios

Autor: Carolda

Carolina. Canhota, 32, já vivi outras vidas em castelos.

13 comentários em “Não é isso”

  1. Meninaaaaaaa! arrepios multiplos! Tenho uma baita inveja da forma como vc escreve. Ja disse isso ne?! hehe. Mas é verdade. E sobre o carinha cheio de musculos, nao me chama a atençao em nada. Acho feio, grotesco. E as loironas-gostosonas, mas ainda. Por se atraem somente por caras assim.

    obs: brigado pelo coments no meu. Qro vc mais vezees la heim? 🙂

  2. É Carol, tbm não gosto de montes de músculos mas fiquei imaginando a cena de vc olhando o casal e só pensando nessa pessoa q não sai daí de dentro. Foi poético.
    bjs!

  3. Frias pedras, negro basalto
    Sentinelas do receio à tempestade
    Testemunhas da viajem do tempo
    Cobertas de sal, guardiãs da verdade

    Mas, não há duas reais verdades
    Não há rios que correm para o alto
    Não há amor num coração que mente
    Não há ternura sem viver o momento

    Vem viver a minha cidade inventada

    Doce beijo

  4. caramba, como ficou bem escrito…

    quanto ao cara 'bombado', eles também me assustam…
    quanto aos choros doídos, é, eu sei, são angustiantes… =/

    fazia uma tempo que não vinha aqui.
    😉
    tô te seguindo,
    =*
    bjos

  5. “Talvez não saiba mais o jeito certo de carregar coisas pesadas. Talvez eu nem deva mais carregá-las”-> não carregue!
    Como sempre, adorei seu post. E espero não encontrar um cara à lá Sylvester Stallone com sua loirona, pois caras assim também me assustam…

    (www.pollyok2.zip.net)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s